A minha conta bancária foi pirateada. E agora? Quem paga?

Home / A minha conta bancária foi pirateada. E agora? Quem paga?
Detalhes do Documento

Data: 26/02/2020

Numa realidade cada vez mais digital e instantânea, são poucos os portugueses que ainda não foram defrontados com os contratos de homebanking, as suas potencialidades e, sobretudo, o seu comodismo. Contudo, são ainda alguns os que vivem numa constante desconfiança e incerteza quando na mesma frase se conjugam expressões como “Internet” e “contratos bancários”, na decorrência das atuações maliciosas que são comummente relatadas nos media nacionais e internacionais.
Para o Tribunal da Relação de Coimbra não restaram dúvidas que a entidade bancária não conseguiu provar a quebra de confidencialidade por parte de João e Joana, qualquer atuação fraudulenta dos mesmos, incumprimento deliberado das obrigações a que estavam legalmente obrigados, ou mesmo negligência no comportamento destes. Como o Banco não o conseguiu fazer, concluíram os Senhores Desembargadores que deveria ser a entidade bancária a assumir o risco e responsabilidade decorrente desse serviço que contratualmente presta e, por isso, ser responsabilizada pela obrigação de reembolso aos autores sobre as quantias que foram ilicitamente retiradas das suas contas e demais danos. E assim conseguiram João e Joana reaver os mais de trinta mil euros que tinham sido fraudulentamente transferidos da sua conta bancária.

Notícias

Os Meios de Obtenção de Prova Digital na Investigação Criminal
21, Setembro

José Pedro Freitas, Advogado Associado da N-Advogados, edita obra intitulada “Os Meios

Ler Notícia
CRIPTOMOEDAS – BANCO DE PORTUGAL COM NOVOS PODERES DE SUPERVISÃO
17, Setembro

A Lei 58/2020 transpõe diversas Diretivas europeias e procede ainda a diversas

Ler Notícia
DIA MUNDIAL DE PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZONO
16, Setembro

O Dia Mundial de Proteção da Camada de Ozono foi instituído pela

Ler Notícia

 Anterior  Todos Seguinte